Pesquisa
  • Aa+
  • Aa-
  • Aa+
  • Aa-
Transformação Digital
https://estrategiasquetransformam.com.br/wp-content/uploads/2018/09/img_6568.jpg

Mudança de mindset e colaboração.

O avanço da tecnologia é inevitável. A era da indústria 4.0 é uma realidade e, a cada dia, os recursos tecnológicos são incorporados nas empresas a fim de garantir melhores resultados. É fundamental que as organizações tenham compreensão da urgência em reavaliar os seus processos e adotar ferramentas tecnológicas que garantam sobrevivência e inovação. Neste sentido, os CIOS terão um papel fundamental na mudança empresarial.

Mas quem são esses profissionais?

O CIO é o Chief Innovation Officer. E é encarado por muitos como o braço direito dos CEO, afinal, a tecnologia trouxe impactos diretos para o ambiente corporativo. As etapas de produção e elaboração de projetos tornaram–se mais dinâmicos e estratégicos a partir da adoção de ferramentas tecnológicas como o cloud, a automação de processos etc. Entretanto, no Brasil, em 2007, apenas 40% dos CIOS desempenhavam papéis estratégicos dentro das suas corporações.

 

Pensando na nova organização empresarial, os CIOS estão sendo pressionados a mudar de foco. A inovação tornou-se peça–chave para as organizações e, neste sentido, é preciso fazer com que eles assumam uma função mais estratégica dentro das empresas.

A partir deste novo cenário, acompanhar os avanços da tecnologia não será mais um papel exclusivo para o CIO, mas sim de todo o corpo diretivo. Assim, as tecnologias disruptivas poderão gerar impactos significativos em toda a corporação.

Neste novo mindset, o CIO dedicará mais tempo à estratégia de negócio. Assim, os investimentos em TI estarão alinhados aos objetivos da empresa. Além disso, as ações serão elaboradas para proporcionar inovação na arquitetura de negócio, impactando as operações e a tecnologia adotada em toda a instituição.

O CIO passará a desempenhar essa função pois tem conhecimento mais próximo de todos os processos da empresa, neste sentido, ele poderá levantar as oportunidades de melhorias e otimização a fim de garantir resultados mais ágeis e eficientes.

 

O novo papel dos CIOS nas organizações

Uma inovação disruptiva exige uma compreensão e transformação do ambiente interno da empresa. É necessário que o pensamento e a forma de agir de gerentes e colaboradores modifique–se a fim de garantir um produto relevante e capaz de impactar o mercado.

Para conseguir se posicionar em um mercado cada dia mais competitivo, é fundamental garantir soluções inovadoras e relevantes para os consumidores. Para tanto, o uso da tecnologia torna–se imprescindível, dando aos CIOS uma nova posição dentro da estrutura das instituições.

Para entender melhor qual o papel que os CIOS deverão desempenhar nesta nova realidade de mercado, continue a sua leitura!

 

A mudança de mindset em um cenário disruptivo

A tecnologia alterou padrões de hábitos e consumo em todo o mundo. Ela criou oportunidades diferentes de negócios, sanando dores de determinados público–alvo ao associar a qualidade com as necessidades atuais. Uma empresa que traduz essa nova percepção de negócio é a Netflix.

Criada em 1997, a empresa teve uma meteórica expansão em 2007, nos Estados Unidos, tornando–se em uma das maiores organizações do seu setor. Todo esse crescimento aconteceu com a popularização do serviço de streaming, que garantiu uma nova forma de consumir conteúdos como filmes e séries. A Netflix, portanto, tornou-se rapidamente um dos serviços mais desejados pelos consumidores apoiando sua inovação em uma entrega eficiente, rápida e barata.

A tecnologia streaming alterou completamente as distribuições, séries e investimentos das televisões norte–americanas, inclusive dos filmes de Hollywood. A partir dessa inovação, os roteiristas, criadores, atores e distribuidores tiveram que reorganizar suas estratégias e ações. Sendo atraídos por um mercado cada vez mais lucrativo.

Da mesma forma como o streaming alterou o setor de entretenimento, outras criações tecnológicas estão influenciando e impactando os diversos setores e mercados. A inteligência artificial, por exemplo, se faz cada dia mais presente no atendimento ao cliente. Logo, a adoção da tecnologia nos processos de uma empresa é cada dia mais necessária e inevitável.

Para estar inserido neste novo cenário, portanto, é preciso estar preparado para inovar e procurar maneiras criativas de transformar a tecnologia em uma aliada para o crescimento e resultados. Não basta simplesmente automatizar os seus processos, é preciso criar um ambiente interno capaz de florescer e gerar novas oportunidades de negócio.

O intraempreendedorismo é um conceito associado a essa nova mentalidade a ser adotada neste cenário disruptivo. Trata–se em motivar os colaboradores a buscarem alternativas inovadoras para o próprio exercício do trabalho. Ou seja, elas são estimulados a pensar sobre o negócio e apresentar soluções inovadoras que agreguem valor para os clientes e para a empresa.

Com o intraempreendedorismo é possível perceber gaps e oportunidades de reformulações utilizando a tecnologia. Assim, é possível otimizar os processos, facilitando o trabalho dos colaboradores. Para isso, é fundamental que o CIOS tenham uma nova percepção do seu papel dentro das organizações.

 

Os principais desafios neste ambiente

Para conseguir sobreviver neste ambiente disruptivo de forma criativa e inovadora é fundamental garantir que os colaboradores e gestores encarem o negócio a partir de uma nova perspectiva. A organização precisa estimular os funcionários a participarem do crescimento empresarial oferecendo soluções e ideias.

Destacar-se em um cenário cada vez mais competitivo está diretamente associado a oferecer valor e relevância para os consumidores. Para tanto é fundamental um pensamento estratégico que coloque o cliente como o foco das ações. A tecnologia pode e precisa desenvolver alternativas para aproximar a empresa das pessoas.

Acompanhar as tendências da revolução digital é fundamental. Segundo a Tech Trends 2018, a realidade digital e os blockchains estão compondo a nova classe de trabalho. Essas inovações disruptivas propõe novas formas de encarar o mercado. Estar por dentro dessas tendências é fundamental para não perder oportunidades.

Neste sentido, o CIOS mostram-se novamente como agentes fundamentais para a mudança empresarial. Eles são responsáveis por alinhar os conhecimentos e percepções das tendências tecnológicas com a percepção dos processos internos.

Dessa forma, o CIOS pode desempenhar uma função estratégica ao implementar tecnologias que sejam coerentes com os processos e estrutura do negócio. É fundamental entender que a tecnologia por si não garante resultados satisfatórios ou eficiência nos processos, é preciso que estes recursos estejam alinhados com as estruturas da empresa e otimizem os processos.

É fundamental que o alto escalão gerencial da empresa esteja alinhada e ativamente participativa na adoção das tecnologias. Afinal, os recursos precisam ser estimulados, otimizando os serviços e função de cada colaborador.

Aos CIOS compete o desafio de alinhar o planejamento financeiro da organização com os investimentos na área da Tecnologia da Informação, a fim que o setor englobe toda a estrutura do negócio, oferecendo qualidade e otimização para todos os processos estruturais da empresa.

 

A importância de manter a inovação com foco no cliente

O conceito de customer center é pautado por centralizar as ações da empresa em estratégias que gerem valor para os consumidores. Para tanto, o uso da tecnologia torna-se um grande aliado capaz de armazenar informações e cruzar dados para uma abordagem mais próxima.

Com os recursos on–line é possível captar informações cruciais para traçar o perfil dos consumidores e desvendar os hábitos de consumo. Desta forma, é possível oferecer produtos que estejam alinhados aos anseios e desejos do cliente.

Conseguir ser eficiente ao propor soluções que atendam às dores dos consumidores é um grande diferencial. Essa postura é capaz de conquistar e fidelizar os clientes, ao propor uma aproximação efetiva entre a marca e as pessoas.

A tecnologia pode humanizar o atendimento ao cliente, com a inteligência artificial é possível elaborar estratégias de comunicação como o Chatbot, ferramenta utilizada para auxiliar no autoatendimento e solucionar os principais desafios enfrentados pelos consumidores.

O conhecimento é essencial para garantir ações inovadoras. A partir do momento em que os colaboradores conseguem desvendar os consumidores, reconhecendo o seu perfil é possível estabelecer uma comunicação direta e eficiente.

Os CIOS também desempenham papel fundamental nesta questão. Eles podem desenvolver e estruturar processos e otimizações — pautadas em ferramentas tecnológicas ideais — a fim de captar e cruzar informações coletadas do comportamento dos clientes.

O mindset de toda a organização precisa estimular o foco centralizado no cliente e na plena satisfação de seus anseios. Todos os recursos tecnológicos precisam facilitar a interação entre a marca e os consumidores, a fim de garantir uma experiência única e reveladora.

Garantir um papel estratégico para os CIOS é um caminho sem volta. Com esse novo modelo de estruturação é possível garantir a expansão do negócio pautado pela evolução dos recursos tecnológicos e adoção de recursos coerentes com a estrutura do negócio.

Com o novo papel, os CIOS podem efetivamente agir sobre as dores da empresa ofertando resoluções que otimizem os processos e garantam a proximidade com os clientes. Dessa forma, é possível aumentar as vendas e garantir a sobrevivência das empresas.

A sua organização também garante a participação estratégica dos CIOS no corpo dirigente? Não deixe de comentar neste post sobre a experiência da sua empresa. Conte–nos como são superados os desafios propostos pela inovação disruptiva no seu cotidiano. Deixe o seu comentário!

 

 

 

Publicado em:

Estrategias que Transformam

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *