Pesquisa
  • Aa+
  • Aa-
  • Aa+
  • Aa-
Transformação Digital
https://estrategiasquetransformam.com.br/wp-content/uploads/2020/10/O-que-é-TEAL-1920x550.jpg

O futuro já chegou

Vivemos uma era digital em que, a qualquer instante, o universo que conhecemos pode se transformar completamente com novas tecnologias. No ambiente corporativo não é diferente: o conceito de TEAL é uma tendência que está caindo no gosto de muitas empresas ao redor do mundo.

Não é mais novidade para os empreendedores que, em pleno século 21, os negócios em transformação são ótimas oportunidades de crescimento. Isso vale principalmente para a gestão da inovação, algo extremamente necessário para que as corporações consigam se adaptar na era da tecnologia.

Por isso, se reinventar é fundamental para atender as demandas de uma sociedade tão tecnológica. Buscar por novos formatos de produção e estruturas organizacionais são ações indispensáveis para vencer a forte concorrência. Afinal, acompanhar as tendências do mercado também é uma maneira de fazer com que o seu negócio saia da zona de conforto e aposte em práticas modernas.

Mas, só a tecnologia é suficiente para produzir empresas de sucesso? Foi pensando neste questionamento que o ambiente corporativo precisou repensar certos modelos tradicionais que já não fazem mais sentido na atualidade.

Isso porque, além do investimento tecnológico, a humanização dos processos produtivos tornou-se um fator praticamente obrigatório nas organizações. Logo, o conceito de TEAL aplicado nas empresas está criando novos modelos de gestão e ditando o futuro dos negócios no mercado corporativo.

Neste artigo, vamos ajudá-lo a entender o que é TEAL e quais são as vantagens de sua aplicação nas empresas. Compreender a importância de transformações como a TEAL é fundamental para qualquer corporação nos dias atuais.

O que é TEAL?

Em sua definição mais básica, o termo TEAL diz respeito a um emergente modelo de gestão que determina um novo estágio da consciência humana. Quando aplicado nas organizações corporativas, o paradigma promove um desenvolvimento em que hierarquias tradicionais são substituídas por modelos centrados na autogestão.

Para que uma organização alcance o tão almejado sucesso, é necessário elaborar uma excelente gestão empresarial. O futuro do negócio depende de certas estratégias para alcançar bons resultados no mercado.

E o fato é que empresas são feitas de pessoas. E são esses indivíduos que, em conjunto, exercem tarefas e definem parâmetros de crescimento da corporação. Tudo isso seguindo uma hierarquia de liderança e cadeias de ordens burocráticas.

No entanto, e se essa estrutura hierárquica não existisse? E se os profissionais pudessem praticar a autogestão e liberdade de pensamento e ação?

É exatamente isso que o TEAL pretende implementar nas corporações. Ao tratar empresas como organismos vivos e com objetivos concretos, o conceito elimina a necessidade de estruturas baseadas em hierarquias de poder.

Assim, é possível elaborar uma gestão empresarial descentralizada, com equipes reduzidas e responsáveis por suas próprias ações em prol da empresa. Enxergando a corporação como um organismo com propósitos, é possível fazer os profissionais atenderem aos objetivos da empresa sem precisar de cadeias de ordens superiores no comando.

A origem e aplicabilidade do TEAL

O conceito de TEAL apareceu pela primeira vez no livro “Reinventing Organizations” (Reinventando Organizações, em tradução livre), do autor Frederic Laloux, publicado em 2014. Por meio de intensas pesquisas, Laloux propõe um debate sobre o futuro dos negócios e como as transformações digitais continuam impactando a gestão empresarial.

Baseado na Teoria Integral do psicólogo Ken Wilber, a obra de Laloux busca entender os diferentes estágios da evolução corporativa ao longo da história. Assim, nasceu o conceito de TEAL – modelo organizacional que pretende substituir estruturas tradicionais a partir de três princípios:

– Autogestão: sistema onde equipes são autogeridas, distribuindo responsabilidades e eliminando a necessidade das hierarquias de ordens superiores;

– Integridade: indivíduos capazes de apresentar suas personalidades no todo, não somente a profissional;

– Propósito evolutivo: quando corporações são vistas como organismos próprios, os profissionais conseguem acompanhar o processo de evolução natural da empresa, sem a necessidade de controlar seu desenvolvimento.

Além de estabelecer um novo modelo de gestão para o futuro dos negócios, o TEAL também pode ser aplicado na humanidade no geral. Assim, os indivíduos aprimoram suas percepções pessoais sobre a sociedade e eles mesmos.

Quais são as vantagens da aplicação do TEAL nas empresas?

Optar por incluir o conceito de TEAL é uma ação que apresenta diversas vantagens para as corporações. Além de eliminar burocracias e superioridade hierárquica, a metodologia pode reformular os propósitos das corporações.

Outra grande vantagem do TEAL é o aumento da produtividade e comprometimento dos profissionais. A partir da autogestão, cada indivíduo desenvolve uma consciência de responsabilidade com a empresa, sempre disponível para dar o melhor de si.

Transformar organizações verticais – em que as ordens sempre vem de cima para baixo – em sistemas baseados na autogestão vai tornar a sua empresa mais eficiente. Com funcionários aptos a tomarem suas próprias decisões, as equipes conseguem resolver problemas com agilidade e ainda aumentar a colaboração entre os profissionais.

Em vista deste cenário, implementar práticas da liderança 4.0 também é uma enorme vantagem para as corporações. Com as transformações digitais, o TEAL vai fazer os profissionais desenvolverem o pensamento estratégico e mantenham uma visão abrangente das exigências da era digital.

Além disso, o processo de gestão empresarial recebe muitos benefícios da aplicação do TEAL. A comunicação se torna mais fluida e eficaz, promovendo índices positivos de crescimento.

Os desafios da implementação do TEAL

A falta de objetivos e desestímulo dos profissionais nos modelos tradicionais são características frequentes na maioria das empresas até os dias de hoje. A ausência de investimento em processos humanizados promove ambientes impessoais, em que funcionários não são motivados e ainda precisam encarar a cadeia de comandos.

Ainda vivemos numa sociedade em que praticamente todas as nossas relações vêm de sistemas hierárquicos. Seja em casa, na escola ou no trabalho, a realidade é a mesma. Logo, a transição para modelos de negócio baseados na autogestão é bastante complicada para as corporações que desejam inovar.

Por isso, a aplicação do TEAL ainda ocorre com certa dificuldade. Apesar de suas diversas vantagens, muitas empresas não conseguem se adaptar a transição de modelos e pensamentos organizacionais.

No entanto, não é um cenário tão desanimador quanto parece. Para superar a dificuldade, já existem métodos e práticas que auxiliam as empresas nessa transição. Mesmo que de primeira vista aparente ser um processo quase utópico, é possível sim se adaptar ao TEAL e fazer parte de um processo empresarial inovador.

Gostou de conhecer o conceito de TEAL? Então, por que não começar a transformar o modelo de gestão da sua empresa? O futuro do seu negócio agradece!

Publicado em:

Estrategias que Transformam

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Série

_Além da transformação

Assine e receba a série que reúne heads compartilhando conteúdo exclusivo para você enfrentar os desafios que virão.